quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

Sala Escura: A NEGOCIAÇÃO



Uma história sobre a sedução do poder e do que um respeitável homem de negócios é capaz de fazer mantê-lo. Richard Gere encarna o executivo Robert Miller, papel que lhe cai muito bem, espantando para longe o estereótipo de bom-e-belo-moço.



O bem sucedido, exemplar, pai de família Miller é ele próprio um personagem, representando constantemente, num teatro onde altas cifras movimentam cada cena. Tudo em sua vida é perfeito, correto, desde os assépticos escritórios aos jantares em família. Tudo funciona como uma engrenagem sobre cujo funcionamento Miller acredita ter total controle.



Mas, mesmo para um homem poderoso como Miller, a vida pode trazer surpresas que vão obrigá-lo a tomar atalhos, desvios, fugindo de sua trajetória milimetricamente programada. Um paralelo com a situação da economia mundial, aparentemente sólida em alguns países, mas cujas bases frágeis têm sido ultimamente expostas, denunciando um sistema não tão confiável como a mídia nos apresenta. Evocando o velho Marx, tudo que é sólido ameaça desmanchar no ar.



Um acidente de carro e a morte da amante desequilibram o esquema programado por Miller e ameaçam uma bilionária negociação prestes a ser fechada.  Afinal, ele não tem o controle sobre tudo, como imagina. Para retomar este controle, Miller lançará novas cartadas, envolvendo na trama pessoas de fora do elegante círculo onde transita. Nesse jogo de aparências, onde tudo pode ser usado contra ou a favor, pessoas que se acostumaram a ser apenas a sombra do vitorioso e respeitado executivo, irão surpreendê-lo, como aprendizes que superam seus mestres.



Na trilha sonora, João Gilberto embala os encontros de Miller com a amante (Laetitia Casta). Susan Sarandon conduz com elegância e confiança o papel de esposa perfeita e Tim Roth é um investigador hábil em conquistar a cumplicidade do espectador. O jovem Nicholas Jarecki mostra competência nesse seu primeiro longa, vamos ver o que nos trará em seus próximos trabalhos.




A Negociação (Arbitrage)


Polônia/EUA, 2012, 107 min.

Direção: Nicholas Jarecki

Classificação: 14 anos (Violência, drogas ilícitas)






2 comentários:

Bia Martins disse...

Oi Teresa,

Gostei do filme. Só achei que o final podia ser mais contundente, menos arrumadinho. Mas saí satisfeita do cinema. Os atores estão ótimos.

Bjs

Tecelã disse...

Concordo com vc, Bia. Não é um filme impactante - como Rota Irlandesa, por exemplo - mas cumpre o que se propõe. O estreante diretor terá mto tempo pra confirmar seu talento. Bj!