sábado, 30 de abril de 2011

O AMANHÃ COMO UM LUGAR



Um poema de Emily Dickinson, em que a poetisa norte-americana busca saber “onde fica o lugar chamado amanhã”, nos leva a pensar sobre o tempo em que vivemos, de muita pressa, onde o presente esvai-se em grande velocidade e o futuro parece não existir.

Vivemos sempre em expectativa, PRESENTE ao lado do FUTURO, e é preciso alguma sabedoria para equilibrar os pratos dessa balança-ampulheta. Viver o presente – carpe diem- - não significa esgotar este presente e recomeçar a cada dia, a partir do zero. Até porque, mesmo quando há perdas, não se parte do zero, há um aprendizado nas derrotas.

Deve-se viver o presente como um movimento duplo, tal como os corpos celestes: um que gira sobre si (o pensar) e outro que avança (criação/transformação), de modo que o presente – que também será ontem e já foi futuro – não seja um fragmento isolado, uma peça sem encaixe adequado ao mosaico da existência, ainda que este encaixe precise ser encontrado nas tentativas de erros e acertos. Há um processo que ancora-se em memória, um processo que percorre a História.

Viver o presente no sentido de não se deixar imobilizar pelos entraves do passado e não deslocar para o futuro os passos que nos levem à realização dos planos e sonhos que cultivamos. Se não há planos e sonhos, nem sentimento de algo a construir, uma contribuição à sociedade, a vida esvazia-se num mero subsistir opaco, pálido, desbotado e vazio. Essa contribuição não é necessariamente um feito extraordinário, tampouco precisa ter os “quinze minutos de fama” profetizados por Andy Wahrol. Como diz o poema da chilena Gabriela Mistral, nas pequenas atitudes do cotidiano há grandeza, generosidade, beleza que ajudam a transformar o mundo.

Na Educação – entendida em toda sua amplitude - é onde repousam as esperanças, o próprio futuro. Um futuro que deve ser visto como “algo desejável e possível”, vencendo as incertezas destes tempos.

*Poema de E.Dickinson em http://avessodedentro.blogspot.com/2009/09/emily-dickinson-um-livro-de-horas.html

*Poema de Gabriela Mistral em http://recantodasletras.com.br/poesias/1820632

*Texto de Sandra Korman Dib - http://www.muticom.com/index.php/comunicacao-vida/83-um-futuro-possivel


*Foto: Parque das Aves - Foz do Igaçu



Nenhum comentário: